Blog

Anfepramona para emagrecer

Anfepramona, também conhecida como dietilpropiona, é um medicamento com a finalidade de causar a falta de apetite, ou seja, é um remédio para emagrecer. Por conta disso, foi, por muito tempo, receitada em tratamentos contra obesidade. Derivada da anfetamina, acredita-se que anfepramona é o medicamento mais potente para tratamento da obesidade, proporcionando perdas de até 17 kg em cerca de 3 meses.

Desde o início da sua comercialização no Brasil, a anfepramona tem sido consumida basicamente por mulheres, de maneira manipulada. A procura costuma aumentar nas proximidades do verão, já que público deseja emagrecer rapidamente para desfilar seus corpos em forma na estação mais quente do ano.

O produto teve sua venda proibida no Brasil em 04/10/2011, por conta de decreto da ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), mas como o produto ainda é fabricado no exterior, existe uma espécie de mercado negro, de modo que ainda é muito fácil comprar anfepramona pela internet.

Como funciona a anfepramona
Ao atuar no sistema nervoso central, a anfepramona causa sensação de saciedade, de maneira similar ao famoso Victoza, fazendo com que o indivíduo coma menos e, consequentemente, emagreça.

Efeitos colaterais
O medicamento tem alto potencial para criar dependência. Além disso, também gera tolerância, ou seja, com o passar do tempo o paciente tem que tomar doses cada vez maiores para que se obtenha o mesmo efeito. A substância também tem efeito sobre medicamentos contra hipertensão, podendo cortar seus efeitos.

Outros efeitos colaterais da anfepramona são boca seca, nervosismo, insônia, mau funcionamento do intestino, irritabilidade, ansiedade, taquicardia, hipertensão arterial, excitação, tremores ao dormir, pesadelos, insônia e depressão.

Por fim, graças à sua capacidade de causar bem-estar e euforia, o remédio ocasionalmente é usado de maneira recreativa, não sendo raros os casos de overdose e morte.

Proibição da ANVISA
Em outubro de 2011, a diretoria da Anvisa decidiu proibir a venda, em território brasileiro, de todos os medicamentos inibidores de apetite derivados da anfetamina. A decisão afetou não só a anfepramona, mas também o femproporex e o mazindol. O órgão alegou que tais substâncias causariam graves riscos à saúde e que não haveria comprovação científica de sua eficácia.

No entanto, matéria da Veja de 2012 mostrou que, com a proibição, tais medicamentos passaram a ser ainda mais procurados. Mas, sem a devida prescrição médica e acompanhamento adequado, os pacientes continuaram a ganhar peso.

Graças às reclamações de muitos obesos, os quais alegam que agora não têm um medicamento adequado para a sua doença, e ao estabelecimento de um mercado negro de emagrecedores, surgiram boatos de que a anfepramona seria liberada pela Anvisa em 2013, mas, até agora, nada foi confirmado.

Deixe seu comentário